• Nutrição
  • Uso correto de suplementação pode dobrar o rendimento do gado no pasto

    23/02/2021
    Pesquisas apontam que cada R$ 1 investido na compra de um bom suplemento nutricional gera retorno de, no mínimo, R$ 2
    Foto: Divulgação.
     
    Segundo especialistas em nutrição animal, por melhor que sejam as pastagens, não fornecem tudo que o animal precisa. O pecuarista Rodrigo Agustini, do município de Alta Floresta (MT), percebeu isso.
     
    “Um dia que os animais ficam sem mineral no cocho é visível, aparece a costela.”.
     
    O zootecnista Thiago Prado explica que existem carências e desequilíbrios de minerais nas pastagens, principalmente de fósforo, sódio, zinco, iodo, entre outros minerais, por uma série de fatores. Entre eles, a baixa fertilidade e a alta acidez do solo, o manejo incorreto dos pastos, a ausência de adubação e a época do ano. Somando macros e micros, são mais de 20 minerais essências para a composição da carne, da gordura, do leite e também para a reprodução e para o crescimento ósseo. Os minerais ajudam ainda a melhorar o sistema imunológico dos animais deixando o gado mais resistente a doenças como pneumonia e diarreia.
     
    A suplementação nutricional de bovinos evoluiu muito desde a década de 1950. Nesta época, o comum nas fazendas era ter nos cochos apenas o sal branco, que contém somente cloro e sódio. Hoje, os pecuaristas contam com a diversidade de suplementos minerais, proteicos e energéticos. São suplementos nutricionais que mantêm a saúde e promovem aumento do ganho de peso e da fertilidade do gado.
    Os suplementos nutricionais são produtos que devem ser utilizados como ferramenta estratégica na fazenda. Além de aumentar a fertilidade do gado, aceleram a fase de acabamento, dão gordura e ajudam a aumentar o rendimento da carcaça no frigorífico.
     
    Custos e benefícios
     
    Os suplementos minerais, proteicos e energéticos, variam muito de acordo com a categoria do animal. Há um produto para cada fase do rebanho e também para ser usado o ano todo. A evolução não termina aí. Muitos produtos já contam com os chamados aditivos classificados pelo MAPA / DF como nutricionais, tecnológicos, zootécnicos, anticoccidianos e sensoriais, que são moléculas que, entre outras, coisas promovem o crescimento, melhoram o estado de saúde e a eficiência alimentar.
     
    Um pasto verde, com folhas em abundância e suplemento nutricional de baixa qualidade pode dar um desempenho diário de 400 gramas ou menos na época das chuvas, o que é insatisfatório para o sistema. Quando aumenta a concentração e a qualidade dos suplementos minerais, esse desempenho aumenta, podendo chegar em 600 gramas por dia. Com a incorporação de aditivos, o desempenho do gado pode ser ainda maior, atingindo 800 gramas de ganho de peso por dia no período das aguas, ou mais, como já é visto em centenas de propriedades rurais que respeitam o bem-estar animal e trabalham de forma correta com o tripé Nutrição X Genética X Sanidade.
     
    E ainda, para cada R$ 1 investido em suplemento nutricional de qualidade, o produtor rural tem, no mínimo, R$ 2 de retorno.


  • IICA e Fundo Verde do Clima fecham parceria de US$ 100 milhões para projetos de redução das emissões de metano nas Américas

  • Para secretário de Inovação do Mapa, Fernando Camargo, iniciativa pode ajudar países a cumprirem meta de diminuir as emissões de metano na pecuária

    + leia mais
  • Lei de pagamento por serviços ambientais é incentivo para cuidar do pasto

  • Pesquisadores da Embrapa destacaram a ligação entre das boas práticas de manejo do pasto e a nova lei de pagamento por serviços ambientais

    + leia mais


  • Criação de sites