• Manejo
  • Planilha permite calcular áreas de pastejo rotacionado

    16/03/2021
    Ferramenta foi criada por técnico da Emater-MG para agilizar o atendimento a pecuaristas interessados nesse tipo de manejo.
    Pastejo rotacionado, com manejo correto, pode garantir alimentação volumosa para o gado o ano todo (Foto: Carlos Maurício de Andrade).
     
    A partir de imagens via satélite e critérios como área para formação dos piquetes, tempo de permanência e de descanso em cada um deles, além do número de animais, o técnico da Emater-MG (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais) Elson de Castro desenvolveu uma planilha para calcular áreas de pastejo rotacionado para agilizar o atendimento a pecuaristas interessados no manejo.
     
    “Antes, para fazer um projeto de pastejo rotacionado, era preciso ir até a propriedade, medir a área de pastagem disponível, ver quantas cabeças de gado o produtor tinha, fazer vários cálculos na calculadora”, conta Castro, de acordo com o divulgado pela Emater.
     
    De acordo com a instituição, o trabalho desenvolvido em Laranjal, município da Zona da Mata mineira e venceu a modalidade regional de um concurso interno que reconhece o trabalho de funcionários. Esse reconhecimento indica a possibilidade de replicar a experiência em outros municípios onde a estatal atua.
     
    Castro explica que a primeira etapa é identificar a necessidade do produtor, de acordo com a sua área disponível e quantos animais pretende alimentar. "Ainda no escritório, pedimos para o produtor localizar sua área disponível no programa Google Earth PRO e qual forrageira deseja implantar no projeto. Jogamos todos os dados na planilha que irá calcular automaticamente o número de piquetes, quantidade ideal de animais por piquete e a área de cada piquete”, detalha, conforme o divulgado pela Emater-MG.
     
    Com base nas informações geradas pelo programa , o técnico desenha o sistema de pastejo rotacionado a ser adotado na fazenda. “Geralmente, eu levava um dia fazendo este trabalho, quando precisava ir até a propriedade. Agora levo cerca de 40 minutos no escritório para entregar tudo pronto para o produtor”, afirma.
     
    No pastejo rotacionado, o gado se desloca a cada dia entre pequenas áreas cercadas durante a alimentação. Os animais circulam até o capim estar no ponto ideal para consumo, sem comprometer a rebrota. Com a técnica, é possível garantir alimentação volumosa para o rebanho o ano todo, desde que haja adubação adequada e irrigação nos períodos de seca. As recomendações de fertilização são feitas de acordo com cálculos em planilhas de interpretação de análise de solo.
     
    Elson de Castro já utilizou o sistema de cálculo que criou para a implantação de dez projetos de pastejo rotacionado em Laranjal e outros dez no município vizinho de Barão do Monte Alto. E a Emater usa a ferramenta em outras regiões do estado.
     
    “Este projeto vai ao encontro da proposta da Emater de usar cada vez mais a tecnologia da informação. Estamos otimizando o trabalho do técnico, diminuindo custo para a empresa e, com isso, sobrando mais tempo para desenvolver outras ações”, pontua o técnico.
     
    Fonte: Revista Globo Rural com Curadoria Boi a Pasto


  • Falta de assistência técnica é gargalo para atingir metas de metano e carbono

  • Firmados na COP26, pactos para diminuir emissão de gases de efeito estufa estão distantes de produtores que carecem de extensão rural pública

    + leia mais
  • Aumento de 35% na probabilidade de prenhez e 30% mais peso nos bezerros desmamados

  • Esses números são possíveis com o uso da suplementação alimentar específica para vacas durante o período reprodutivo

    + leia mais


  • Criação de sites