• Sustentabilidade
  • Pequena propriedade em Sorriso (MT) será modelo no uso de sistema silvipastoril

    09/12/2021
    Uma parceria entre Clube Amigos da Terra (CAT Sorriso), Prefeitura Municipal de Sorriso (MT) e Embrapa Agrossilvipastoril deu início à implantação de uma Unidade de Referência Tecnológica de sistema silvipastoril para pecuária de corte em pequena propriedade.

    O plantio das primeiras árvores foi realizado de forma coletiva durante um dia de campo realizado na última segunda-feira 06/12, no assentamento Jonas Pinheiro.

    A propriedade escolhida para receber a URT foi a de Dionleno Antônio Bagatini. A área total do sítio é de 14 hectares. A atividade é parte do projeto Cultivando a Vida Sustentável, realizado pelo CAT Sorriso junto ao IDH. 

    “Detectamos a necessidade de orientar os produtores do Assentamento Jonas Pinheiro em sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta. Então fizemos todo o diagnóstico de quais áreas poderiam ser atendidas e se tornar uma Unidade Demonstrativa. Definimos essa área dele e pedimos ajuda da Embrapa para orientar essa implantação”, explica a coordenadora de Projetos e Eventos do Cat Sorriso, Cristina Delicato.

    O planejamento do sistema silvipastoril foi feito por meio de um grupo técnico de trabalho que contou com representantes das três instituições envolvidas na atividade e com o produtor. Após diagnóstico da área e das demandas do produtor, optou-se pela utilização de renques com linhas simples de árvores margeando as cercas dos seis piquetes já formados na propriedade. Inicialmente foram arborizados apenas três piquetes, como forma de escalonar a área inutilizada temporariamente até o crescimento das árvores.   

    “É uma questão tanto de estética da propriedade quanto do bem-estar animal e agregação de renda com a extração da madeira e alimentação animal. A minha intenção é a de fazer todos os perímetros da propriedade em três anos. A expectativa é muito boa”, afirma o produtor.

    Foram utilizados consórcios de eucalipto (H13) com leguminosas, como gliricídia, leucena e bordão de velho. Na ponta das linhas também serão plantadas mudas de baru.

    “O planejamento ocorreu como forma de complemento de renda. O componente florestal deverá, além de melhorar a ambiência para os bovinos, fornecer outros serviços ecossistêmicos para o sistema de produção, tais como fornecer renda, fixar biologicamente o nitrogênio e, ainda, funcionar como fonte de proteína na suplementação alimentar do rebanho”, explica o pesquisador e chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Agrossilvipastoril, Flávio Wruck.

    A opção pelo eucalipto H13, de múltiplos usos, abre a possibilidade de retirar pranchas ou mesmo mourões para construção de cercas. A gliricídia, leucena e o bordão de velho serão usados para aumentar a proteína na dieta do gado. O baru, por sua vez, visa ser uma fonte de renda extra com a coleta de castanhas.

    Enquanto as árvores estiverem pequenas, serão protegidas por cerca elétrica para evitar que o gado as danifique. Na medida em que crescerem, os animais poderão se beneficiar do conforto térmico da sombra.

    Implantação

    A implantação da Unidade de Referência Tecnológica foi realizada de forma coletiva durante um dia de campo promovido pelo CAT Sorriso por meio do projeto Cultivando a Vida Sustentável.

    Os participantes do dia de campo, entre eles alunos e professores do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT Campus Sorriso), produtores rurais tiveram uma breve explanação sobre o projeto a ser implantado. Na sequência puseram os pés e as mãos na terra para plantar as mudas.

    A condução da área será feita pelo produtor, com supervisão técnica do grupo de trabalho do projeto.

    Por Gabriel Faria (MTB 15.264 MG) - Embrapa Agrossilvipastoril

     



  • CAP disponibiliza curso gratuito de proteção de ruminantes e equinos em transporte de longa duração

  • CAP disponibiliza curso gratuito de proteção de ruminantes e equinos em transporte de longa duração

    + leia mais
  • Starrett troca plástico por papelão nas embalagens de Serra Manual e eliminará o consumo de 7,9 toneladas do material ao ano

  • Substituição reduzirá ainda em 25% as emissões de CO2; Objetivo da empresa é que todas as suas embalagens sejam sustentáveis

    + leia mais
  • IICA e Fundo Verde do Clima fecham parceria de US$ 100 milhões para projetos de redução das emissões de metano nas Américas

  • Para secretário de Inovação do Mapa, Fernando Camargo, iniciativa pode ajudar países a cumprirem meta de diminuir as emissões de metano na pecuária

    + leia mais
  • Lei de pagamento por serviços ambientais é incentivo para cuidar do pasto

  • Pesquisadores da Embrapa destacaram a ligação entre das boas práticas de manejo do pasto e a nova lei de pagamento por serviços ambientais

    + leia mais


  • Criação de sites