• Nutrição
  • Pastagem adapta-se a mudanças climáticas

    17/07/2014
    Estudo conduzido na USP mostra que um aumento de 2o C na temperatura até 2050 poderá beneficiar o crescimento de algumas plantas forrageiras utilizadas para pastagem no Brasil. A braquiária, no entanto, mostrou-se sensível ao aumento da temperatura.
    Aumento de 2°C de aumento estimado de temperatura não só não afeta, como favorece o crescimento de plantas forrageiras. Foto: Cristina RappaCristina Rappa

    Um dos grandes temores relacionados ao aquecimento global é o prejuízo na produção de alimentos, uma vez que diversas plantas devem ter produtividade afetada em um ambiente mais quente. No caso das pastagens, o problema pode afetar o abastecimento de carne e leite, uma vez que no Brasil, um dos maiores produtores mundiais desses alimentos, o gado é criado a pasto.

    Mas um estudo conduzido por pesquisadores do Departamento de Biologia da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto (SP) e publicado em junho na revista Environmental and Experimental Botany mostra que os 2°C de aumento estimado de temperatura pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC na sigla em inglês) não só não afeta, como favorece a fisiologia e os processos bioquímicos e biofísicos envolvidos no crescimento de plantas forrageiras como a Stylosanthes capitata vogel, leguminosa usada para pastagem de gado bovino no Brasil.

    “O aumento de 2° C na temperatura do ambiente em que a Stylosanthes capitata vogel foi cultivada experimentalmente favoreceu a fotossíntese, além do aumento das folhas e da biomassa da planta”, afirmou o coordenador do estudo Carlos Alberto Martinez à revista da Fapesp durante workshop “Impacts of Global Climate Change on Agriculture and Livestock”, realizado em 27 de maio, na sede da agência paulista de fomento à pesquisa que apoiou a realização do projeto. No experimento, as plantas foram cultivadas em temperatura mais elevada por 30 dias, quando foi medida sua conversão de energia fotossintética, e feitas as análises bioquímicas e de massa.

    Segundo Martinez, a planta estudada é uma importante leguminosa forrageira em regiões tropicais e subtropicais e que pode se desenvolver em ambientes arenosos e secos.

    Suscetibilidade ao calor

    O resultado já não foi favorável para a forrageira Panicum maximun e para a Brachiaria decumbens, principal planta forrageira do Brasil, onde também conhecida é como capim-mombaça. Nesse caso, o estudo foi conduzido no Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba (SP) e também da USP.

    Esse resultado “pode ter uma série de  implicações para o uso dessa planta como forrageira, utilizada em mais de 80 milhões de hectares de pasto no Brasil”, afirmou Raquel Ghini, da Embrapa e uma das autoras desse estudo à Fapesp.

    Para Martinez, da USP, “a solução para cultivar pasto em áreas suscetíveis à seca poderá ser a irrigação ou a utilização de espécies resistentes à deficiência hídrica e adaptadas às mudanças climáticas”.

    Fonte: Sou Agro
     


  • Planejamento e semente de qualidade são critérios para pasto bem formado

  • O planejamento é um processo fundamental para quem pretende formar, reformar ou recuperar uma pastagem. Existem vários passos que são necessários para que o produtor tenha sucesso nesta empreitada.

    + leia mais
  • Estratégias de suplementação na entressafra

  • Qual melhor caminho a seguir em momentos de mudanças?

    + leia mais
  • Uma nova revolução

  • Eficiência alimentar passa a ser grande preocupação dos principais selecionadores de bovinos do País. A característica promete conferir maior competitividade à produção de carne vermelha.

    + leia mais
  • Genética no tempo, sem artificialismos

  • Respeitando a fixação de características no rebanho ao longo do tempo sem quaisquer maquiagens nas informações observadas e coletadas no campo.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (8)



  • gordon
  • ZH3703 http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

    Postado: 31/01/2017 15:33:00

  • matt
  • 4WFS7E http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

    Postado: 29/01/2017 13:13:00

  • chaba
  • wVSCsL http://www.y7YwKx7Pm6OnyJvolbcwrWdoEnRF29pb.com

    Postado: 29/01/2017 13:11:00

  • Barnypok
  • vtGbVl http://www.FyLitCl7Pf7ojQdDUOLQOuaxTXbj5iNG.com

    Postado: 02/01/2017 05:19:00

  • Bárbara Medrado
  • Estou no semi arido bahiano e estou fazendo um projeto para pasto rotativo para engorda. farei a irrigação por malha. Gostaria que me indicassem estudos como:melhor forrageira, melhor leguminosa etc. desde ja agradeço

    Postado: 02/09/2014 09:58:00

  • Bárbara Medrado
  • Estou no semi arido bahiano e estou fazendo um projeto para pasto rotativo para engorda. farei a irrigação por malha. Gostaria que me indicassem estudos como:melhor forrageira, melhor leguminosa etc. desde ja agradeço

    Postado: 02/09/2014 09:58:00

  • Bárbara Medrado
  • Estou no semi arido bahiano e estou fazendo um projeto para pasto rotativo para engorda. farei a irrigação por malha. Gostaria que me indicassem estudos como:melhor forrageira, melhor leguminosa etc. desde ja agradeço

    Postado: 02/09/2014 09:58:00

  • Bárbara Medrado
  • Estou no semi arido bahiano e estou fazendo um projeto para pasto rotativo para engorda. farei a irrigação por malha. Gostaria que me indicassem estudos como:melhor forrageira, melhor leguminosa etc. desde ja agradeço

    Postado: 02/09/2014 09:58:00

    Criação de sites