• Notícias
  • Matsuda apresenta em sua Matriz amostra tecnológica dos 70 anos

    18/12/2018
    No evento, o Grupo Matsuda apresentou uma amostra tecnológica com seus novos lançamentos no segmento de nutrição bovina, o APP orientando o uso dos suplementos destinados a vacas em lactação, novilhas a pasto e bezerros, além da segunda geração de suas sementes forrageiras Gold Star.

    Jorge Matsuda, Skio Sammi, D. Fumiko Matsuda e Arilton Sammi, diretores do Grupo, na abertura do evento.

    “Esses foram anos que passaram rápido, porque os planos estavam traçados, com cronograma, com objetivo determinado, com tecnologia e inovação. Por isso estamos realizados. Isso demonstra que estamos no caminho certo, com o time certo, com resultados certos e positivos no campo, com a parceria daqueles que são a razão de toda nossa dedicação: o produtor”. Com essas palavras, o presidente do Grupo Matsuda, Jorge Matsuda, saudou os mais de 500 participantes, entre produtores pecuaristas, técnicos, autoridades e estudantes universitários, presentes ao dia de campo realizado pela empresa em Álvares Machado, em comemoração aos 70 anos de fundação da empresa.

    No evento, o Grupo Matsuda apresentou uma amostra tecnológica com seus novos lançamentos no segmento de nutrição bovina, onde os participantes puderam  conhecer as novas formulações de suplementos minerais para gado de leite e de corte, o APP orientando o uso dos suplementos destinados a vacas em lactação, novilhas a pasto e bezerros, além da segunda geração de suas sementes forrageiras Gold Star, incrustadas, e da semeadeira Show Junior. E canteiros agrostológico, especialmente instalados, mostraram a evolução dos cultivares de forrageiras desenvolvidas e comercializadas durante esses anos, numa “linha do tempo” do capim forrageiro em nosso País.

    Francisco Jardim, secretário de Agricultura do Estado de São Paulo, presente no evento, disse acompanhar o Grupo Matsuda há 45 anos: “Acompanho todo esse trabalho de melhoria, de pesquisa, e é uma honra estar aqui, comemorando 70 anos de conquistas, prestigiando uma empresa que presta um serviço importante para o agronegócio brasileiro”. Para o engenheiro agrônomo Alberto Takashi, coordenador do Departamento Técnico de Sementes do Grupo, “o mais importante é chegarmos aos 70 anos firmes no mercado, com a marca posicionada, com a satisfação de nossos clientes.  A principal preocupação do Grupo Matsuda tem sido investir em tecnologia, em pesquisa de ponta, trabalhando com dedicação e com o compromisso com a qualidade e a sustentabilidade”.

    Jorge Matsuda, presidente do Grupo, recepcionou o Secretário da Agricultura do Estado de São Paulo, Francisco Jardim.

    Novas formulações e APP

    As novas formulações da linha leite vieram para fornecer opções de suplementos minerais para os mais variados sistemas produtivos e níveis de produção. Além disso, foram desenvolvidos produtos para as diferentes épocas do ano, como os proteinados para o período seco do ano, os suplementos para o período transicional entre as águas e o período seco, além da segmentação por categoria animal. Essas novas formulações foram criadas para aumentar as opções de utilização de produtos, visando sempre a maior lucratividade, através de melhor desenvolvimento dos animais jovens da propriedade como bezerras e novilhas, bem como das vacas em lactação, dando condições ótimas para a sua saúde e reprodução, resultando em um rebanho mais saudável e longevo. Atendem animais produzindo leite a pasto durante as diferentes estações do ano, vacas em sistemas intensivos de produção, bezerros em grande desafio imunológico e as futuras produtoras de leite da propriedade, as novilhas.  Os novos produtos irão atender todas as categorias do rebanho leiteiro, dando opções para os diferentes sistemas produtivos e épocas do ano.

    Os aplicativos lançados pelo Grupo Matsuda consistem em mais uma ferramenta que a Matsuda disponibiliza no mercado. De acordo com as informações fornecidas na plataforma sobre as características de determinada propriedade, o produto mais indicado para aquela situação é informado com embasamento técnico. Através de cálculos matemáticos e tabelas nutricionais, o programa calcula aproximadamente 600 possibilidades diferentes em segundos, para levar ao produto mais indicado para aquela situação, em associação com informações técnicas, nossos vendedores irão orientar da melhor maneira para garantir a maior rentabilidade na propriedade.

    Linha do tempo das sementes

    A produção de sementes para pastagens da marca Matsuda é o resultado de um empreendimento visionário e totalmente inovador, iniciado na década de 70, pelo atual diretor-presidente da empresa, Jorge Matsuda, e um pequeno grupo de funcionários, que, juntos, acreditaram no sonho de transformar capim em alimento – carne e leite – para o brasileiro e para o mundo.

    O público presente pode conhecer a evolução dos cultivares desenvolvidos pela Empresa, em sua “Linha do Tempo”

    Na década de 70, capim era mato que crescia em beira de estrada, e gado era criado solto em invernada. A pecuária ainda era uma atividade incipiente, destinada ao suprimento básico de carne e leite dos próprios produtores, que vendiam o excedente nas suas regiões. O mercado de sementes para pastagens era muito rudimentar, sem nenhum profissionalismo. As sementes eram colhidas em cachos, ou rasteladas em sequeiros e ensacadas, sem nenhuma preocupação com a qualidade – teor de pureza, viabilidade, germinação, etc...

    Com iniciativa, a empresa alavancou um setor primário da economia, sendo a mola propulsora para transformar a paisagem rural do Brasil, estimulando o investimento nos negócios da pecuária, e transformando o País num dos maiores produtores e exportadores de carne e de leite do mundo.

    Entre 1980 e 1981, a Matsuda colheu sua primeira produção de sementes Brachiaria Brizantha, que se tornaria famosíssima como Brizantão ou Engorda Boi, resultado de sua primeira pesquisa para o desenvolvimento de uma variedade forrageira resistente a cigarrinha. A produção, de 30 toneladas, plantadas em 12 alqueires, realizou-se em parceria com o produtor da região. Não demorou muito para a Matsuda competir com os desenvolvedores institucionais e logo vieram os vários lançamentos da Matsuda Genética, como a braquiária MG-4, a MG-5 Vitória e a MG-13 Braúna.

    A partir de 2003, os novos cultivares desenvolvidos e lançados pelo Grupo Matsuda passaram a ser protegidos, de acordo com a lei de proteção de cultivares. Assim, a genética Matsuda passou a ser exclusiva em capins como Atlas (2003), Áries (2003) e Carajás (2008) e leguminosas forrageiras como Java (2003).

    A partir de 2015, o Grupo apresentou ao mercado cultivares de alto melhoramento genético, após mais de uma década de desenvolvimento, pesquisas, testes em ambientes controlados (casas de vegetação) e a campo, alguns desses em propriedades de pecuaristas parceiros. Assim, surgiram no mercado as forrageiras MG12 – Paredão, MG13 – Braúna, MG7 – Tupã e MG-11 – Tijuca. Atualmente, cinco novos cultivares estão em desenvolvimento, a partir da genética exclusiva do Grupo Matsuda.

    Essa evolução foi apresentada em canteiros durante sua amostra tecnológica dos 70 anos., além das sementes da série Gold Star, que apresentam a tecnologia de revestimento ideal para aplicações também em sistemas de ILP e/ou ILPF. As Sementes Série Gold Star apresentam revestimento mais liso e mais resistente, o que proporciona melhor fluidez e melhor plantabilidade.

    Ao lado de Kátia Matsuda, a mascote Matsudinha mostra o livro “Jorge Matsuda”, lançado no evento, cuja renda pela venda será revertida ao Hospital do Câncer de Pres. Prudente.

    Livro “Jorge Matsuda”

    Durante o Dia de Campo, o médico veterinário Fernando Antônio Nunes de Carvalho, coordenador do Departamento Técnico de Nutrição do Grupo, lançou o livro “Jorge Matsuda”, escrito por ele em parceria com o próprio Sr. Jorge Matsuda. Ricamente encadernado e ilustrado, é uma obra que relata a trajetória inspiradora do presidente do Grupo Matsuda, que juntamente com a família Sammi, transformaram o armazém “Zé Matsuda” em uma das empresas mais tracionais do agronegócio.

    Toda a renda obtida com a venda obra será revertida para o Hospital do Câncer de Presidente Prudente (SP).

    Fonte: Matsuda / Taxi Blue Comunicação Estratégica 



  • Santander e Esalq/USP revelam vencedores da segunda edição do Prêmio Novo Agro

  • O Santander e a Esalq/USP revelam os oito vencedores do “Prêmio Novo Agro”.

    + leia mais
  • YAMI - Youth Agribusiness Movement International encerra sua primeira edição e amplifica presença do jovem no agronegócio

  • Com temas voltados para modernização do campo, liderança e sucessão, as novas mentes do agronegócio debateram o futuro em um evento disruptivo.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites