• Manejo
  • Manejo adequado de medicamentos traz benefícios ao rebanho

    13/04/2015
    É preciso ter em mente, ainda, que cada espécie – bovinos, equinos, ovinos, caprinos, aves, suínos, etc. – exige manejo e cuidados próprios, além de produtos e dosagens específicas.

    Medicamentos veterinários devidamente registrados no Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) são as melhores ferramentas para o produtor agropecuário tratar – e até prevenir – a maior parte das doenças e outros problemas que acometem animais de grande porte e de produção. Contudo, o veterinário e especialista em Novos Negócios da UCBVET Saúde Animal, Gabriel Sandoval, alerta que o manejo inadequado desses produtos pode acarretar efeitos indesejáveis à criação ou mesmo levar à morte do animal.

    “Devemos nos lembrar das condições ideais de armazenamento de medicamentos, sempre evitando contato direto com a luz solar, calor excessivo e umidade, que podem comprometer a qualidade e a eficácia dos produtos”, ressalta o especialista. Nesse caso, um simples armário pode abrigar e proteger os itens, servindo de farmácia veterinária e salvando a vida de muitos animais em situações de emergência. “A partir disso, é necessário seguir as recomendações prescritas em bula, estar atento a indicações, dosagens, via de aplicação, precauções e período de carência para a carne e para o leite”, diz Sandoval.

    É preciso ter em mente, ainda, que cada espécie – bovinos, equinos, ovinos, caprinos, aves, suínos, etc. – exige manejo e cuidados próprios, além de produtos e dosagens específicas. “Entretanto, cabe ao médico veterinário a prescrição correta de medicamentos, avaliando a necessidade individual e a do rebanho”, afirma.

    Antes, durante e depois da aplicação

    Segundo Sandoval, antes da aplicação de qualquer medicamento é fundamental a contenção adequada dos animais, a fim de eliminar a possibilidade de acidentes com colaboradores da fazenda. “Para isso, recomenda-se o uso de bretes (equipamento projetado para imobilizar o bovino), que, além de trazer segurança aos funcionários, permitem a aplicação adequada dos fármacos veterinários”, salienta.

    Outro ponto importante, de acordo com o especialista da UCBVET, é respeitar a via de aplicação indicada pelo fabricante – subcutânea, intramuscular e intravenosa ou, nos casos de controle parasitário, por meio de pulverização e pour-on (aplicado direto no dorso). “A alteração do local de aplicação pode interferir na eficácia do tratamento e causar danos aos animais, podendo levá-los até a morte”, destaca. Por fim, depois da aplicação, é preciso acompanhar o rebanho por, pelo menos, 30 minutos e certificar-se de que todos estão em boas condições de saúde.

    Ocitocina

    Entre os medicamentos mais utilizados em bovinos está a Ocitocina. A substância leva ao aumento das contrações musculares do útero no momento do parto, contribuindo para a expulsão da cria e da placenta. Ela também possui ação sobre as glândulas mamárias, por meio do aumento das contrações dos alvéolos e dos canais galactóforos (canais excretores de leite), o que impulsiona o leite, aumenta o fluxo e promove o esgotamento total da glândula mamária.

    “Em fazendas de gado leiteiro, normalmente, ela é utilizada para controle da retenção do leite e como auxiliar no tratamento de mastite por acúmulo de leite após o parto (leite residual). O medicamento deve ser administrado, de preferência, pelas vias intravenosa ou intramuscular, de acordo com as dosagens prescritas em bula ou conforme a orientação de um médico veterinário”, conta o especialista.

    Apesar de serem cuidados básicos, nem sempre os produtores efetuam o manejo deste e de outros medicamentos de forma adequada, lembra Sandoval. “Devemos, portanto, investir em formação, capacitação e qualificação da mão de obra rural, o que permitirá que os colaboradores rurais estejam preparados para exercer as atividades cotidianas com habilidade e segurança, a fim de proporcionar maior produtividade no campo e, consequentemente, aumento da produção de melhor qualidade”, conclui.

     


  • MANEJO EFICIENTE DA PASTAGEM AJUDA NA PRODUÇÃO DE CARNE DE QUALIDADE

  • Para acessar mercado premium e que melhor remunera com a criação a pasto, é preciso planejamento, animais de boa genética e principalmente escolher cultivares com alto valor nutritivo para alimentação

    + leia mais
  • Pantanal tem 14 cidades em emergência, mais incêndios e mortes de animais no MS

  • Região vive período de forte estiagem, o que motivou o decreto de emergência por parte do governo local

    + leia mais
  • Pasto rotacionado: sobrou capim? Saiba por que isso é um ótimo sinal

  • Confira as novas dicas do doutor em zootecnia Gustavo Rezende Siqueira, pesquisador do Polo Regional de Alta Mogiana da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA)

    + leia mais


  • Criação de sites