• Conjuntura
  • Indústria de carnes do RS projeta R$ 1,2 bi a mais com fim da vacina contra aftosa

    26/05/2021
    Novo status sanitário, que deve ser oficializado nesta semana pela OIE, promete abrir novos mercados internacionais e valorizar produção do Estado

    Com a perspectiva de ampliar em US$ 1,2 bilhão por ano seu volume de negócios, o setor produtivo de carnes do Rio Grande do Sul aguarda com expectativa a certificação do Estado como zona livre de febre aftosa sem vacinação pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE).

    O reconhecimento, que deve ser oficializado na quinta-feira (27/5), abrirá as portas para 70% dos mercados internacionais a que o RS, até hoje, não tinha acesso, beneficiando as indústrias gaúchas de carne bovinasuína e de aves.

    "A evolução do status sanitário coloca a pecuária gaúcha em um novo patamar. Muito em breve estaremos livres da vacina e livres para crescer", destaca a secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Silvana Covatti.

    Na indústria de carne suína, a projeção é de que haja um incremento na exportação na ordem dos R$ 600 milhões anuais. China (carne com osso), Japão, EUA e Coreia do Sul são os maiores importadores mundiais a exigirem status de livre de febre aftosa sem vacinação para exportar esse tipo de carne.



  • Rendimento do gado criado a pasto melhora com suplementação, mesmo no período das águas

  • Entramos no período das águas, estação em que os ‘olhos’ dos pecuaristas e produtores em geral se enchem de alegria diante da fartura dos pastos nas fazendas Brasil afora.

    + leia mais


  • Criação de sites