• Sustentabilidade
  • GTPS apoia programa de pecuária sustentável na Amazônia

    15/10/2014
    O Programa Novo Campo promove a gestão integrada da propriedade rural, com a adoção progressiva das Boas Práticas Agropecuárias (BPA) para Gado de Corte, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
    Além dos parceiros o Programa conta com apoio do Fundo Vale, da Fundação Moore, do GTPS e da Cooperação da Noruega (Norad).

    O Instituto Centro de Vida (ICV), o Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS) e um grupo de organizações lançaram na última quarta-feira, dia 8, em Mato Grosso, o Programa Novo Campo, que visa promover práticas sustentáveis em fazendas de pecuária na Amazônia, melhorando seu desempenho econômico, social e ambiental. A iniciativa pretende contribuir para reduzir o desmatamento, conservar e recuperar os recursos naturais e fortalecer a economia local. 

    O Novo Campo é resultado de um projeto piloto, iniciado em 2012, que apresentou resultados bastante positivos, como a redução da idade de abate dos animais, de 44 para 36 meses para machos e de 34 para 26 meses para fêmeas, o aumento da produtividade, de 4,7 para mais de 12 arrobas por hectares ao ano, bem como a melhoria da qualidade da carne e da renda dos produtores.

    O Novo Campo será implantado, inicialmente, na região de Alta Floresta, maior polo de pecuária do norte de Mato Grosso, incluindo os municípios de Carlinda, Paranaíta, Nova Monte Verde, Nova Bandeirantes e Apiacás, além de Cotriguaçu, localizado na região noroeste do estado.

    Para participar, os produtores precisam estar em dia com as questões ambientais e trabalhistas e contratar assistência técnica credenciada pelo Programa. O trabalho começa com a realização de um diagnóstico de cada propriedade, depois é elaborado e implementado um projeto técnico-econômico, que passa a ter um acompanhamento contínuo do técnico credenciado.

    Para incentivar a realização desses investimentos, os produtores participantes terão acesso a uma bonificação de preço, baseada em critérios de qualidade da carcaça. Além disso, estão sendo desenvolvidos mecanismos para facilitar o acesso ao crédito.

    Para garantir a operacionalização, o programa está capacitando um grupo de profissionais de assistência técnica, apoiando a criação de uma associação de produtores de pecuária sustentável e desenvolvendo ferramentas que facilitarão a gestão da fazenda no dia a dia e que permitirão garantir a origem dos animais aos compradores. 

    Segundo Laurent Micol, coordenador executivo do ICV, o Programa representa um experimento em escala da transformação do sistema produtivo da pecuária. “Vamos demonstrar, na prática, que é possível produzir mais e melhor numa região como Alta Floresta, sem desmatar e ainda recuperando as áreas degradadas”, afirmou. Para Eduardo Bastos, presidente do Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS), um dos apoiadores do programa, o Novo Campo possui princípios e objetivos que se assemelham aos do GTPS. “Precisamos mostrar aos produtores que a pecuária sustentável é possível, acessível e que sem ela não há futuro. Além disso, é nosso dever compartilhar as boas práticas e técnicas de manejo para um número cada vez maior de produtores e apoiar projetos com esses objetivos”. 

    O programa tem a parceria da Embrapa, dos Sindicatos Rurais de Alta Floresta e de Cotriguaçu, do Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS), do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), da Fundação Solidaridad e da empresa multinacional de carnes JBS S.A. Além do GTPS, conta também com o apoio do Fundo Vale, da Fundação Moore e da Cooperação da Noruega (Norad). 

     Sobre o GTPS

     Criado no final de 2007 e formalmente constituído em junho de 2009, o Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS) é formado por representantes de diferentes segmentos que integram a cadeia de valor da pecuária bovina no Brasil, entre eles indústrias, organizações do setor, produtores e associações, varejistas, fornecedores de insumos, bancos, organizações da sociedade civil, centros de pesquisa e universidades. 

    O objetivo do GT é debater e formular, de maneira transparente, princípios, práticas e padrões comuns a serem adotados pelo setor, que contribuam para o desenvolvimento de uma pecuária sustentável, socialmente justa, ambientalmente correta e economicamente viável. Em 2014, o grupo recebeu o Certificado de Excelência em Sustentabilidade na categoria Governança Corporativa, entregue pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) em reconhecimento ao processo claro e transparente de tomada de decisões e demonstração de resultados do GTPS. 

    Mais informações sobre o GTPS estão disponíveis no site www.pecuariasustentavel.org.br. Acompanhe também pelo twitter, em @gtps_brasil, e pelo Facebook, em www.facebook.com/gtpsbrasil.  

     Fonte: Alfapress Comunicações

     


  • Planejamento e semente de qualidade são critérios para pasto bem formado

  • O planejamento é um processo fundamental para quem pretende formar, reformar ou recuperar uma pastagem. Existem vários passos que são necessários para que o produtor tenha sucesso nesta empreitada.

    + leia mais
  • Estratégias de suplementação na entressafra

  • Qual melhor caminho a seguir em momentos de mudanças?

    + leia mais
  • Uma nova revolução

  • Eficiência alimentar passa a ser grande preocupação dos principais selecionadores de bovinos do País. A característica promete conferir maior competitividade à produção de carne vermelha.

    + leia mais
  • Genética no tempo, sem artificialismos

  • Respeitando a fixação de características no rebanho ao longo do tempo sem quaisquer maquiagens nas informações observadas e coletadas no campo.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites