• Notícias
  • Grupo Matsuda leva para a BeefExpo 2017 suas ferramentas para a produção sustentável

    05/06/2017
    Essas ferramentas são as quatro novas cultivares de gramíneas forrageiras, desenvolvidas a partir de seu banco de germoplasma, além do Programa Desempenho Máximo

    Banner do Programa Desempenho Máximo Mais Carne, que sugere o manejo nutricional do rebanho nas diversas épocas do ano e peso do animal.

    O Grupo Matsuda leva para seu estande, na edição 2017 da BeefExpo, programada para o período de 6 a 8 de maio em São Paulo (Centro de Eventos Pro Magno - Rua Samaritá, 230 - Casa Verde, São Paulo), seus mais recentes lançamentos, que correspondem à missão da empresa em oferecer respostas tecnológicas cada vez mais efetivas para pecuaristas que buscam sustentabilidade, além de melhor remuneração pelo aumento da produtividade e oferta de produtos com maior qualidade.

    Essas ferramentas são as quatro novas cultivares de gramíneas forrageiras, desenvolvidas a partir de seu banco de germoplasma, além do Programa Desempenho Máximo, um protocolo de nutrição animal com suplementação mineral, proteica e energética, desenvolvido para possibilitar que as propriedades de pecuária aumentem as margens de lucro por meio do desempenho dos animais. As linhas desenvolvidas, Mais Bezerros, Mais Leite e Mais Carnes, garantem uma suplementação adequada e que aumenta a taxa de produção.

    A chegada ao mercado das quatro novas variedades de sementes de pastagem tem sido recebida com entusiasmo pelos produtores pecuaristas, já que cada uma delas possuem características específicas para atender diferentes demandas, resultado de 13 anos de pesquisas. Essas forrageiras foram desenvolvidas com base em pesquisas e passaram por rigorosos testes antes de chegarem ao mercado. Todas elas possuem uma característica exclusiva da marca Matsuda, que é a incrustação para elevar a sua pureza. A partir de uma tecnologia holandesa, as sementes passam por um processo de limpeza e depois de escarificação química, além de tratamento com fungicida e polímero para incrustação.

    As quatro variedades que chegam ao mercado são a MG7 – Tupã, MG11 – Tijuca, MG12 – Paredão e MG13 – Braúna. A MG7 – Tupã, Andropogon híbrido, é voltada para solos com baixa qualidade e cascalhado, como é o caso da região da Baixada Cuiabana. A variedade MG11 – Tijuca, Setaria híbrida, atende à demanda de solos alagadiços, como a região do Pantanal. A variedade é tolerante a solos de média a baixa fertilidade. A MG12 – Paredão, Panicum, é mais resistente à cigarrinha, uma das principais pragas que atinge pastagens e responsável por perdas de produtividade. A variedade Paredão é considerada capim do futuro em produtividade. A MG13 – Braúna, Brachiaria, tem boa aceitação pelos animais e é resistente à seca e veranicos, com rápida rebrota após o pastejo.

    O programa Desempenho Máximo Matsuda foi desenvolvido para possibilitar que as propriedades de pecuária aumentem suas margens de lucro por meio do desempenho dos animais. As linhas desenvolvidas, Mais Bezerros, Mais Leite e Mais Carnes, garantem uma suplementação mineral adequada e que aumenta a taxa de produção.
    Independente do perfil da propriedade, de cria, de leite, engorda ou até mesmo ciclo completo, o programa tem uma linha especial voltada para atender cada demanda. A qualidade dos produtos envolvidos é atestada por meio de análises laboratoriais e também por alto controle de biossegurança.

    Fonte: Matsuda / TaxiBlue



  • Safra 2019/20 de soja tem crescimento na área 2,6%

  • De acordo com o levantamento da Conab, a safra 2019/20 de soja tem crescimento na área 2,6% maior que na última temporada.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites