• Manejo
  • Ferramenta calcula impacto da locomoção na produção de leite

    21/12/2015
    Nova calculadora, que mostra os prejuízos econômicos, foi disponibilizada on-line pelo departamento de serviços técnicos da ABS

    Com a ferramenta, o usuário pode ver fotos dos animais parados e caminhando em cinco níveis de severidade da doença.

    O departamento de serviços técnicos da ABS acaba de lançar uma nova calculadora técnica, que vai otimizar os atendimentos nas fazendas leiteiras, ajudando na avaliação da saúde locomotora do rebanho. A ferramenta, que foi disponibilizada on-line, mostra os impactos econômicos dos problemas de locomoção, calculando as perdas diária e mensal na produção de leite.

    “A locomoção é uma das funções que tem grande correlação com produção de leite, afinal a vaca tem que andar até a ordenha, até o cocho... E ainda notamos que falta entendimento sobre o assunto. Em um estudo (Whay, et al.  2002.  Proc. of the 12th Intnl. Lameness Conf.), apenas 5% dos pecuaristas entrevistados afirmaram enfrentar problemas desta natureza. Depois da visita de técnicos nas suas fazendas, concluiu-se que a porcentagem real era acima de 22%”, detalha Hélio Rezende, gerente de Ferramentas Técnicas Genus ABS.

    Com a ferramenta, o usuário pode ver fotos dos animais parados e caminhando em cinco níveis de severidade da doença: desde o escore 1, que representa o animal saudável, até o 5, o mais grave. “Muita gente acha que a avaliação do problema de locomoção se faz nos pés, mas na verdade ele é identificado na linha do dorso”, orienta Rezende.

    Pelo sistema, o pecuarista informa quantas vacas foram avaliadas em cada um dos escores. Segundo o gerente, a distribuição considerada normal é de 75% de animais saudáveis e no máximo 0,5% nos escores 4 e 5. A calculadora se baseia em algumas pesquisas (P. H. Robinson, Ph.D., Dept. of Animal Science, UC Davis) que mostram o quanto de leite a vaca perde quando enfrenta problemas como esses, assim, quando o usuário termina de preencher o questionário recebe uma estimativa de impacto econômico. Em um rebanho, por exemplo, de 100 animais (com média de 25 kg/dia), onde 30% estejam no nível mais severo da doença, o prejuízo anual pode ultrapassar R$ 98 mil. “Estimamos, com base científica, a perda para cada escore”, acrescenta.

    A ferramenta possibilita que o técnico gere um relatório instantâneo em pdf e apresente ao criador. “Essa calculadora ajuda o produtor a se conscientizar sobre os problemas locomotores e a necessidade da mudança de comportamento para usufruir o máximo da genética que ele está utilizando”, ressalta o gerente da ABS, lembrando que o problema de locomoção tem muita influência do manejo dos animais.

    A ferramenta está disponível no portal de serviços técnicos da ABS em nove idiomas diferentes. Confira:  www.abstechservices.com/?pages=calc15

    Fonte: ABS



  • Rendimento do gado criado a pasto melhora com suplementação, mesmo no período das águas

  • Entramos no período das águas, estação em que os ‘olhos’ dos pecuaristas e produtores em geral se enchem de alegria diante da fartura dos pastos nas fazendas Brasil afora.

    + leia mais


  • Criação de sites