• Genética
  • Conheça mais sobre o exame andrológico

    16/09/2015
    Estima-se que cerca de 5% dos touros são animais inférteis e entre 20 e 40% são subférteis, que produzem menos filhos do que deveriam.

    A fertilidade do rebanho é um dos itens mais importantes na pecuária, principalmente quando se trata dos reprodutores, pois um touro infértil representa a perda de 25 a 50 bezerros, já uma fêmea infértil representa a perda de apernas um bezerro.

    É simples detectar um animal infértil, basta observar se emprenhou alguma vaca na estação de monta, mas os subférteis somente com o exame andrológico e por isso, esse exame deve ser realizado em todos os reprodutores antes da estação de monta.

    Esse exame é bem específico, pois analisa as condições clínicas gerais, quanto as condições reprodutivas do animal. O médico veterinário que realiza este procedimento que pode ser dividido em duas fases: exame clínico geral e exame específico. Na segunda etapa são analisados os órgãos reprodutivos como testículos e epidídimos (inseridos na bolsa escrotal), glândulas anexas (por apalpação retal), pênis e prepúcio. Tudo é analisado, como simetria, temperatura, sensibilidade dolorosa, lesões, cicatrizes e medidas. Logo após essa avaliação é feita a coleta do sêmen, geralmente feita por eletroejaculação.

    Depois de todos esses exames, o veterinário pode emitir um laudo atestando a fertilidade do animal. Esse laudo tem a validade de apenas 30 dias, por isso, aquisição de touros sem laudos recentes não é recomendada.

    O veterinário atesta o animal como apto, inapto ou questionável. Aptos são animais que atingiram os ultrapassaram os itens recomendados, os inaptos os que não atingiram esses itens e os questionáveis são aqueles animais que devem aguardar novos exames, geralmente são touros imaturos ou que sofrem de algum problema transitório.

    Esse exame não deve ser feito somente quando há alguma queixa ou observação da queda da reprodução dos animais, mas sim ser uma rotina no manejo. Através desse exame é possível selecionar os touros e poder ter mais segurança na comercialização.

    Nada adianta um touro de uma boa raça e com características importantes, se é infértil ou que produza poucos bezerros. Este tipo de animal gera um grande prejuízo para o rebanho. O exame andrológico permite identificar esses animais e minimizar as perdas.

    Fonte: Gabriela Borsari / Agroeditorial / Rural Centro



  • CAP disponibiliza curso gratuito de proteção de ruminantes e equinos em transporte de longa duração

  • CAP disponibiliza curso gratuito de proteção de ruminantes e equinos em transporte de longa duração

    + leia mais
  • Starrett troca plástico por papelão nas embalagens de Serra Manual e eliminará o consumo de 7,9 toneladas do material ao ano

  • Substituição reduzirá ainda em 25% as emissões de CO2; Objetivo da empresa é que todas as suas embalagens sejam sustentáveis

    + leia mais
  • IICA e Fundo Verde do Clima fecham parceria de US$ 100 milhões para projetos de redução das emissões de metano nas Américas

  • Para secretário de Inovação do Mapa, Fernando Camargo, iniciativa pode ajudar países a cumprirem meta de diminuir as emissões de metano na pecuária

    + leia mais
  • Lei de pagamento por serviços ambientais é incentivo para cuidar do pasto

  • Pesquisadores da Embrapa destacaram a ligação entre das boas práticas de manejo do pasto e a nova lei de pagamento por serviços ambientais

    + leia mais


  • Criação de sites