• Notícias
  • Congresso da Abag discute reforma tributária para reduzir uma carga que já chega a 41,37% da renda do brasileiro

    26/07/2017
    Tema faz parte do 16º Congresso Brasileiro do Agronegócio a ser promovido pela entidade no próximo dia 7 de agosto, em São Paulo

    Estimativa feita pelo IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, indica que, em 2015, 41,37% de todo o rendimento dos brasileiros foi destinado para pagar impostos, considerando os tributos incidentes sobre o consumo, os rendimentos e o patrimônio. Pela última atualização, o total de impostos do país alcançou a marca de 90. Para discutir esse ineficiente, complexo e caro cipoal tributário, que atrapalha a vida das pessoas e das empresas, a ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio reservou um painel inteiro do 16º Congresso Brasileiro do Agronegócio, que promoverá no dia 7 de agosto, em São Paulo.

    O painel, que analisará as possibilidades de uma Reforma Tributária, contará com as presenças do presidente do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Paulo Rabello de Castro; do procurador tributário do Conselho Federal da OAB, Luiz Gustavo Bichara, sócio do escritório Bichara Advogados; e do sócio-diretor da Aires Barretos Advogados, Paulo Ayres Barreto. O painel será moderado pelo jornalista William Waack e o tema geral do Congresso será Reformar para Competir. Da programação constam também os painéis sobre a Reforma Trabalhista e a Nova Geopolítica, em que será avaliada a necessidade de acordos bilaterais que o Brasil tem que estabelecer.

    Serviço:

    16º Congresso Brasileiro do Agronegócio – Reformar para Competir
    Data: 7 de agosto de 2017
    Horário: das 8hs às 18h30
    Local: Sheraton WTC São Paulo Hotel

    http://www.abag.com.br/cba/

    Fonte: ABAG / Mecânica



  • Cenário Econômico para o Comércio Exterior em 2020

  • O ano de 2019 não poderia ter uma notícia mais impactante para o Comércio Exterior: a “trégua” na discussão comercial acirrada entre EUA e CHINA.

    + leia mais
  • Rondônia bate o pé e não vai vacinar contra a febre aftosa

  • Entenda a decisão do governo de não esperar pelo Acre.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites