• Nutrição
  • Chegada das chuvas é momento do pecuarista se prevenir para estiagem de 2015

    05/11/2014
    Produtores devem fazer a recuperação de pastagem nos próximos meses.

    Com a chegada dos meses de chuva, os especialistas em pecuária bovina fazem um alerta: é hora do produtor já se preparar para o período de estiagem do ano que vem. Muitos criadores que tiveram problemas com a seca de 2014 poderiam ter seus prejuízos reduzidos se houvesse uma maior dedicação em se prevenir para esse período. "Os meses de forte estiagem já viraram uma rotina. E a cada ano fica mais evidente a necessidade do produtor se prevenir, dado ao prolongamento que vem ocorrendo nesses períodos", afirma Feliciano de Oliveira, coordenador técnico estadual de bovinocultura da Emater-MG.

    A alimentação a pasto continua sendo a maneira mais barata e utilizada para alimentar o rebanho mineiro. Por isso, o cuidado e a iniciativa na recuperação das pastagens devem ser tomados assim que se inicia o "período das águas". Minas conta com 18 milhões de hectares em pastagem, com mais da metade apresentando algum grau de degradação.

    Feliciano de Oliveira explica que o primeiro passo é fazer uma análise da situação da pastagem. "Nas regiões montanhosas, o relevo favorece a degradação. Já no Cerrado, apesar de áreas mais planas, a fertilidade natural do solo costuma ser inferior na comparação com outras regiões. Por isso, é necessária a avaliação de um técnico para determinar qual a melhor maneira de recuperar a pastagem, que pode ser um descanso da área ou, em casos de degradação mais acentuada, ser indicado o uso de fertilizantes ou o replantio da gramínea", explica o coordenador.

    Uma das técnicas para o descanso da pastagem é o uso do pastejo rotacionado. A área é subdividida em vários piquetes e é feito um rodízio no pastejo desses piquetes. Os animais pastam em cada piquete de um a três dias e só retornam ao primeiro piquete depois de aproximadamente um mês. "Isso mantém uma reserva de folhas no capim. É o intervalo que vai garantir a recuperação da pastagem", comenta Feliciano de Oliveira.

    Integração Lavoura e Pecuária

    Outra técnica para garantir maior a recuperação de pastagem degradada e a disponibilidade de alimento para o gado no período da seca é a integração lavoura e pecuária. O sistema consiste em consorciar a produção de grãos - geralmente o milho - numa mesma área onde também se trabalha a pecuária, com o uso da pastagem.

    O cultivo do milho e a criação de bovinos de forma integrada possibilitam maior produção por área com sustentabilidade, porque ocorrem a renovação do solo e o aproveitamento de adubação residual de lavouras. "Ao ser colhido, o milho é armazenado em forma de silagem, um importante alimento volumoso para o período da seca. Além disso, o produtor garante uma pastagem recuperada", explica Feliciano de Oliveira

    Pecuária em Minas

    Minas Gerais tem o segundo maior rebanho bovino do país, com 24 milhões de cabeças. O Estado também é principal produtor de leite. São 8,9 bilhões de litros por ano.

    Fonte: Emater-MG

     


  • Mato Grosso recebe técnicos do Rally da Safra para avaliar lavouras de soja de ciclo médio e tardio

  • Região Leste sofreu atraso no plantio, mas expectativa é de bom desempenho

    + leia mais
  • Produtividade de fazenda amenta em 71% com ajuda da irrigação

  • Propriedade localizada em Balsas, no Maranhão, foi a primeira no Estado a construir poço tubular de alta vazão que proporcionou utilizar os pivôs centrais

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites