• Conjuntura
  • Brasil exporta 4 mil bovinos para o Líbano

    17/09/2020
    No total serão exportadas 26 mil animais vivos na mesma operação e navio, sendo que 22 mil irão para a Turquia.
    Foto: Divulgação.
     
    O Porto Rio Grande (RS) começou a embarcar na última quinta-feira (10/9) quatro mil bovinos vivos para o Líbano e 22 mil para a Turquia, totalizando 26 mil animais exportados. O animais saíram da Estância del Sur, de Capão do Leão (RS), região próxima de Pelotas. Os bezerros são cruzamentos de raças europeias como Angus e Brangus, criados em diversas fazendas gaúchas. Eles têm entre sete e doze meses de idade, pesam cerca de 250 quilos e não são castrados.
     
    Serão necessários pelo menos cinco dias para fazer o embarque dos animais. De acordo com Leila Vettorello, gerente geral de vendas e operações da operadora portuária Sagres, responsável pelo embarque total para o Líbano e de 14,5 mil para a Turquia, o tempo se dá de acordo com a disponibilidade de caminhões carregados e o quanto eles levam para chegar ao porto. O navio “MV Nada”, de bandeira panamenha, consegue embarcar o lote de dois caminhões ao mesmo tempo. A viagem leva cerca de 28 dias. A operadora responsável pelos demais 7,5 mil bovinos para a Turquia é a Vanzin.
     
    O diretor de exportação da Estância del Sur, Vinícius Pilz, afirmou que esta é a primeira venda da fazenda ao Líbano. Outros mercados árabes que a companhia trabalha são Jordânia e Egito.
     
    “Estamos em conversa com compradores do Iraque e a Arábia Saudita, e esperamos vender mais ao Líbano. Estamos em contato frequente com o comprador”, disse Pilz. Este ano, a Estância del Sur já enviou dois navios ao Egito, totalizando 20 mil animais, e um navio para a Jordânia com 10 mil animais.
     
    Sem contar este novo embarque, em 2020 já foram exportadas aos países árabes aproximadamente 45 mil bovinos pelo porto Rio Grande, o equivalente a 11,8 mil toneladas, que somaram US$ 23,34 milhões.
     
    De janeiro a agosto, o Brasil exportou US$ 111 milhões em gado vivo aos árabes, valor 39,3% menor que o do mesmo período do ano passado, totalizando 59,36 mil toneladas, o que equivale a cerca de 237,4 mil animais. Os principais países árabes compradores são Iraque, Egito, Arábia Saudita, Líbano e Jordânia.
     
    Para o mundo, o total exportado pelo Brasil em gado vivo até agosto deste ano foi US$ 131 milhões, queda de 47% no mesmo comparativo. A Turquia aparece em quarto lugar entre os maiores compradores, atrás do Iraque, Egito e Arábia Saudita. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Os principais portos que realizam embarques de gado vivo no Brasil são Rio Grande, Paranaguá e Santos.


  • IICA e Fundo Verde do Clima fecham parceria de US$ 100 milhões para projetos de redução das emissões de metano nas Américas

  • Para secretário de Inovação do Mapa, Fernando Camargo, iniciativa pode ajudar países a cumprirem meta de diminuir as emissões de metano na pecuária

    + leia mais
  • Lei de pagamento por serviços ambientais é incentivo para cuidar do pasto

  • Pesquisadores da Embrapa destacaram a ligação entre das boas práticas de manejo do pasto e a nova lei de pagamento por serviços ambientais

    + leia mais


  • Criação de sites